Jardim de Infância de S. MarçalÉ o primeiro Jardim-de-infância na localidade que irá atender as crianças não só de S. Marçal, como arredores. São Gabriel, Pema-Pema, Pantufo, e não só também farão parte do círculo de cobertura deste jardim. Com três salas de aula espaçosas a infra-estrutura terá a capacidade de atender cerca de 150 crianças, diminuindo assim o número de crianças nos estabelecimentos de ensino pré-escolar localizados no centro da capital. Assim, São Marçal passa a ter uma escola integrada que abrange desde a pré-escolar até a sexta classe.

Para o Ministro da Educação, Cultura e Formação, Olinto Daio, a infra-estrutura reveste-se de grande importância porque permitirá integrar mais crianças no sistema de educação.

O Presidente da Câmara Distrital de Água Grande agradeceu o gesto do Ministério da Educação e considerou que a população de S. Marçal e arredores está de parabéns.

A Chefe do departamento de ensino pré-escolar reconheceu que o Jardim de Infância em boa hora para ajudar a descongestionar os estabelecimentos de ensino pré-escolar no centro da capital.   

Para os pais e encarregados de educação é um alívio ter um jardim de infância mais perto de casa para os seus filhos. 

As salas deverão ser apetrechadas dentro de alguns dias e em Janeiro as crianças já poderão frequentar o novo Jardim de Infância. A infra-estrutura está avaliada em cerca de 75 mil euros.
Jardim de Infância de S. MarçalJardim de Infância de S. Marçal

1º Jardim de Infância em BombomNo âmbito das metas estabelecidas na Carta de Política Educativa Horizonte 2022, o Ministério da Educação tem vindo a estabelecer parecerias para garantir a universalização da Educação Pré-Escolar.

Até 2017 o Ministério da Educação conta incluir 2/3 das crianças no sistema da educação infantil.1º Jardim de Infância em Bombom

É assim que nesta segunda-feira, 4 de Dezembro, o Ministro Olinto Daio, lançou a primeira pedra de construção de um Jardim de Infância em Fernão Dias e no dia 5 de Dezembro em BomBom.

O Jardim de Infância de Fernão Dias é financiado pelo Orçamento Geral do Estado e o primeiro Jardim de Infância de Bombom conta com o financiamento da Empresa petrolífera TOTAL.Novo Jardim de Infância em Fernão Dias

Escola de Praia Gamboa AmpliadaA escola básica de Praia Gamboa agora poderá atender um maior número de alunos.

Nesta quarta-feira, dia 5 de Dezembro foram entregues mais salas de aulas para reforçar o atendimento ao ensino básico na localidade.

Além da restauração e ampliação com entrega de mais duas salas na passada quarta-feira em Angra Toldo, essas três salas de aulas na Praia Gamboa vêm reforçar a oferta de ensino básico na localidade, eliminando assim o regime triplo em São Tomé e Príncipe.Escola de Praia Gamboa Ampliada

Para o Ministro da Educação, Cultura e Formação esta é uma forma de melhorar a qualidade do ensino no país, uma vez que irá reduzir o número de alunos em cada sala e os professores poderão dar maior atenção aos alunos de uma forma personalizada. Melhor gestão escolar e boa distribuição dos alunos por turma constitui alguns dos objectivos desta iniciativa do Governo através de Ministério de tutela e faz parte da projecção de universalização do ensino no horizonte 2022, afirmou Olinto Daio.

A escola básica de Praia Gamboa que actualmente atende cerca de 500 crianças com a ampliação irá aumentar para cerca de 700, aumentando desta forma a cobertura na rede de ensino básico para a localidade e arredores. A Direcção da escola agradeceu o gesto do ministério e apelou a comunidade para colaborar na manutenção da infra-estrutura que é um bem público e servirá a todos.

A obra está avaliada em cerca de 24 mil euros e faz parte da política do Governo de ampliar as estruturas já existentes e construir novas escolas para promover a integração de um maior número de crianças no sistema de ensino nacional.

 Reabilitação e ampliação da Escola de Angra ToldoReabilitação e ampliação da Escola de Angra ToldoReabilitação e ampliação da Escola de Angra Toldo

MECF aposta na formação dos seus quadros

O Governo santomense estabeleceu como meta para o sector da educação, até 2022, a garantia de uma educação de qualidade de 12 anos de escolaridade a todos os santomenses. Nesta perspectiva o Ministério da Educação, Cultura e Formação desenvolveu algumas estratégias para a melhoria do sistema educativo em São Tomé e Príncipe. Para a consecução dessas metas e objectivos é necessário formar os quadros técnicos e os directores das escolas para lidarem com novos desafios da educação numa óptica inovadora.

Com esta intenção, o Ministro Olinto Daio esteve no Instituto Politécnico de Leiria (IPL) na passada sexta-feira, 16 de Novembro, onde se reuniu com o Presidente Nuno Pereira e alguns directores do IPL.

Deste encontro de trabalho ficou acordado entre as partes a realização de um curso de Mestrado em Supervisão Pedagógica e Gestão Escolar.  Esta formação que se destina aos metodólogos, inspectores, técnicos da Direcção do Planeamento e Inovação Educativa e directores das escolas, realizar-se-á na EFOPE, em São Tomé, a partir de Fevereiro de 2012 e terá uma duração de dois anos.

Em simultâneo serão realizadas formações de curta duração em matéria de Gestão Escolar para os directores do Ensino Básico e do Ensino Secundário em exercício.

O Presidente Nuno Pereira manifestou toda a disponibilidade do IPL receber estudantes santomenses para cursos de especialização tecnológica e também para mestrados em Ciências da Educação.

Um protocolo de cooperação entre MECF e IPL será assinado em Janeiro de 2012. Este protocolo contemplará uma série de acções que serão desenvolvidas entre IPL e EFOPE para a formação de professores santomenses.

Olinto Daio e os estudantes Rio de JaneiroNo passado dia 21 de Outubro, no Rio de Janeiro, o Ministro Olinto Daio, depois da sua visita à Pontifícia Universidade Católica do Rio, à Fundação Roberto Marinho e à Secretária do Estado da Educação, na busca de parcerias para a implementação da Carta Política da Educação Horizonte 2022, reuniu-se com os estudantes santomenses.

Este encontro que aconteceu no Hotel Mar Ipanema, no final da tarde do domingo, possibilitou o Ministro Daio ouvir in locus as preocupações dos jovens estudantes, interagir com eles e também apresentar-lhes as perspectivas do desenvolvimento do Ensino Superior em São Tomé e Príncipe, nomeadamente a criação da UNISTP, a Universidade Pública de São Tomé e Príncipe.

Um dos assuntos evocados pelos jovens estudantes foi o de alguns terem sido excluídos da lista de bolseiros pelo facto de terem ultrapassado o tempo limite da conclusão do curso. O Ministro informou os presentes que dentro da recém criada Direcção do Ensino Superior e Formação existe o Gabinete de Acesso ao Ensino Superior (GAES) onde os estudantes deverão apresentar as suas reclamações anexando os documentos que confirmam a sua situação. Esta solicitação pode ser apresentada online no portal do MECF: www.mecf.gov.st .

Olinto Daio e os estudantes do Rio de JaneiroO Ministério da Educação Cultura e Formação melhorou consideravelmente os seus serviços para melhor atender os estudantes santomenses em qualquer parte do mundo. Brevemente estará disponível o SINABE, o Sistema Nacional de Bolsas de Estudo que permitirá cada estudante acompanhar online o seu estado como bolseiro.

Para melhorar a comunicação entre o Ministério e os estudantes, o Ministro Daio orienta que os estudantes se organizem em associações e comuniquem ao Ministério a sua existência, pois “queremos servir o cidadão, quer no país quer no estrangeiro com qualidade e eficiência” frisou o Ministro Daio.

Olinto Daio e AESTP CoimbraOlinto Daio, Ministro da Educação, Cultura e Formação, reuniu-se com a Associação de Estudantes de São Tomé e Príncipe em Coimbra (AESTP Coimbra) na passada quarta-feira, dia 14 de Novembro. O encontro que aconteceu no Consulado de São Tomé e Príncipe em Coimbra e contou com a presença da recém direcção eleita da AESTP Coimbra e do Cônsul José Diogo, permitiu ao Ministro informar os presentes da actual política do Governo Santomense em relação ao desenvolvimento do Ensino Superior em STP,  a implantação da Universidade Pública de STP e também auscultar os estudantes sobre diversos problemas inerentes à vida académica e social dos estudantes santomenses.

O encontro que durou cerca de três horas possibilitou também os estudantes apresentarem algumas propostas de garantia do retorno dos jovens formados ao país e a implementação de uma política de empreendedorismo jovem que facilite a implementação de ideias inovadoras que contribuam para o desenvolvimento do  país.

O Ministro Daio garantiu a AESTP Coimbra que o MECF vai disponibilizar uma plataforma que permitirá uma maior comunicação entre o Ministério e as Associações de Estudantes Santomenses no estrangeiro.  A melhoria na comunicação permitirá resolver vários problemas que os estudantes  vivem e permitirá envolvê-los nos processos de desenvolvimento do Ensino Superior no País.

O Ministro Olinto Daio visitou o Instituto Superior Politécnico, Instituto Universitário de Contabilidade, Administração e Informática e a Universidade Lusíada de São Tomé e Príncipe no passado dia 7 de Novembro.
O titular da Educação, Cultura e formação iniciou a sua visita no Instituto Superior Politécnico para se inteirar das reais necessidades deste estabelecimento de ensino superior. Após uma visita guiada pelos sectores e departamentos, Olinto Daio debateu durante cerca de uma hora com o corpo directivo, docentes e a associação dos estudantes.

No Instituto Universitário de Contabilidade, Administração e Informática, Olinto Daio visitou as obras de requalificação e ampliação do referido estabelecimento de ensino superior. Novas salas de aulas, sala de conferência, dentre outros contemplam a nova estrutura do IUCAI. A visita guiada foi sucedida por um encontro entre o titular da Educação, Cultura e Formação com os representantes da direcção do IUCAI. Olinto Daio pode conhecer as perspectivas da instituição quanto ao futuro.

A visita às instituições de ensino superior do país culminou na Universidade Lusíada aonde o Ministro da Educação, Cultura e Formação reuniu-se primeiramente com a direcção e depois com os representantes das associações estudantis. No debate que durou cerca de uma hora e meia, Olinto Daio aconselhou os alunos a investirem mais nos seus estudos e tomou contacto com algumas necessidades dos mesmos.Estudantes da Lusíada STP

  Estas visitas tiveram como objectivo conhecer a realidade das instituições de ensino superior do país, tendo em vista que o Governo pretende dar maior tónica a formação superior interna. “Acreditamos que a formação local tem várias vantagens” sublinhou o titular da educação, cultura e formação ao falar sobre os custos que o envio de estudantes ao exterior tem para o os cofres do Estado. Outra importância dada ao ensino local, segundo Olinto Daio, diz respeito ao contexto do país, ou seja, os alunos formados internamente terão mais oportunidade de reflectir na busca de soluções para os problemas do país. As visitas visaram também colher subsídios para a criação do conselho nacional de ensino superior.

Olinto Daio e Reitor da Universidade de CoimbraO Governo de São Tomé e Príncipe busca novas parcerias para implementar a primeira universidade pública do país.

É com este propósito que o Olinto Daio, Ministro da Educação, Cultura e Formação visitou esta semana à Universidade de Coimbra e reuniu-se com o Reitor e Vice-reitores da referida universidade.

Esta visita abriu boas perspectivas de colaboração entre a Universidade de Coimbra e a Universidade de São Tomé e Príncipe.

No encontro, que esteve também os Vice-Reitores Prof. Henrique Madeira, Prof.ª Madalena Alarcão e o Prof. Joaquim Ramos de Carvalho, o Reitor João Gabriel Silva reiterou a inteira disponibilidade da Universidade de Coimbra para trabalhar com as autoridades de São Tomé e Príncipe  mais concretamente com o Ministério da Educação, Cultura e Formação, no apoio técnico ao desenvolvimento da Universidade e de estruturas associadas, como é o caso de estrutura de apoio à inovação e à incubação de empresas.

Brevemente uma equipa do Ministério da Educação deverá visitar a Universidade de Coimbra para definição dos termos de referência da assistência técnica à Universidade de São Tomé e Príncipe que deverá abrir as suas portas no ano lectivo 2013-2014.

Acreditar na Educação

Discurso de abertura no Fórum da Educação para o Desenvolvimento
Palácio dos Congressos, 5 de Junho de 2012

Excelências,

Minhas senhoras e meus senhores,
Educadores, professores,
Alunos, pais, encarregados da educação,
Gestores escolares e colaboradores (serventes, cantineiras, contínuos, jardineiros, seguranças),

1. A vontade ardente de fazer o nosso pais sair da pobreza, crescer e desenvolver-se deve conduzir-nos às opções verdadeiramente imperativas de um processo conducente à qualidade da educação culminando num resultado concreto que é de fazer com que cada santomense saiba pensar e aprenda a aprender.
2. Na última década, São Tomé e Príncipe, deu um salto quantitativo e qualitativo na educação. Hoje acolhemos 1/3 das crianças no ensino pré-escolar e 98% das crianças no ensino Básico. Oferecemos nos nossos estabelecimentos cerca de 40.759 pratos quentes por dias lectivos. 
Hoje 4/5 da população santomense com escolaridade básica sabe ler facilmente e 88% da é alfabetizada. 
Conseguimos esses resultados graças aos nossos parceiros de desenvolvimento e o empenho de sucessivos governos que têm alocados cerca de 38,4% dos recursos do OGE ao sector da Educação.

Entretanto, cerca de 74% dos jovens não concluem 11º ano. 
Apenas 55,2% de jovens santomenses frequentam o ensino secundário, há pouca oferta do ensino técnico profissional; os estudantes bolseiros no exterior do país consomem 43% das despesas correntes da Educação; dos 1883 professores e educadores que o sistema possui actualmente cerca de 60% não possuem a formação pedagógica necessária para leccionar; 57,5% dos professores do 1º ciclo do Ensino Básico dispensam menos de 14 horas de aulas semanais, ou seja 2,8 horas por dia; 52,5% dos professores do Ensino Secundário dispensam 10 horas ou menos de aulas por semana, ou seja 2 horas por dia. 
Devido a um financiamento significativo para as bolsas de estudo para estudantes no exterior, os 10% mais educados da população consomem 57,5% dos recursos públicos na educação...e os 20% mais ricos da população apropriam-se 46% dos recursos públicos na educação.
Há uma demanda de mão-de-obra altamente qualificada, mas muito poucos jovens saem do sistema com qualificações médias necessárias para ocupar os postos de empregados e operários qualificados. Para uma demanda de 770 postos de empregados e operários qualificados, o sistema oferece apenas 530 ofertas em adequação.
A análise do mercado de trabalho mostra que 39% dos formados nos últimos dez anos estão desempregados. O desemprego manifesta-se com menos gravidade nos formados do nível superior e põe-se com mais gravidade na camada activa do nível primário.

3. Excelências, Minhas senhoras e meus senhores, 
Para impulsionar o motor económico e vencer a pobreza, precisamos de alargar as oportunidades para todos os santomenses. 
Há necessidade de uma coragem combativa para rejeitarmos as políticas obsoletas e investir nas que realmente expandem as oportunidades e permitem São Tomé e Príncipe se afirmar a nível regional e global. 
Por isso, precisamos facilitar ao cidadão o acesso à educação.

Quando escolhemos o tema deste fórum, “Educação para o Desenvolvimento”, evitámos uma relação fantasiosa e reducionista de manipular o conhecimento para fins de competitividade e optámos por considerar a educação como um factor estratégico para o desenvolvimento humano em São Tomé e Príncipe, isto é um factor de geração de oportunidades para o cidadão: tanto em “fazer oportunidade” como “fazer-se oportunidade”. 

4. É com absoluto conhecimento de causa que acreditamos e podemos hoje afirmar que a educação seja o único factor estratégico capaz de vencer os dois grandes obstáculos que entravam as oportunidades de desenvolvimento de São Tomé e Príncipe: a pobreza política e a ignorância. 
A pobreza política que se exterioriza numa acção de beneficência, concessão, doação como estratégia de combate à pobreza. Como consequência: temos cidadãos que preferem receber comida do que prover o seu próprio sustento.
A ignorância, o segundo obstáculo que entrava as oportunidades de desenvolvimento de São Tomé e Príncipe (historicamente produzida, ela foi cultivada e agora está a ser reproduzida a todos os níveis…), ela é o centro da pobreza, porque a pessoa é privada de uma consciência crítica e não se permite constituir-se sujeito capaz de história. Como consequência: o ser humano está privado de construir as suas próprias oportunidades e aguarda a solução dos outros. 
Assim, hoje, o nosso sistema sociopolítico não teme um pobre que tem fome, mas teme um pobre que sabe pensar.

5. Já algum tempo que defendemos a ideia de que a valorização da educação sob a óptica interdisciplinar do desenvolvimento humano é inadiável e a recuperação da politicidade da educação deve ser hoje, hic et nunc.
As limitações e os desafios do nosso sistema educativo devem ser enfrentados dentro de um projecto político alternativo.
São Tomé e Príncipe precisa, hoje, assumir um compromisso histórico com a educação das nossas crianças.
Sendo assim, todos, bater-nos-emos pelo reconhecimento de que a necessidade de responder a aspiração mais que legítima de cada cidadão de fazer e fazer-se oportunidade traz consigo uma missão para cada um de nós das mais exaltantes: o proporcionar de uma educação de qualidade a todos os santomenses.

É unânime reconhecer que São Tomé e Príncipe 
• precisa dar as escolas os recursos de que elas necessitam para corresponderem aos padrões de qualidade; 
• precisa recrutar, preparar, conservar e compensar uma geração de novos professores, 
• precisa de garantir a presença de professores competentes e eficazes, 
• precisa encorajar mais horas de aprendizagem nas escolas e duplicar recursos financeiros, 
• precisa investir na educação da primeira infância para que um maior número de crianças tenha o melhor começo possível no ensino e na vida, 
• precisa considerar os directores como parte integrante do êxito de uma escola, 
• precisa redesenhar as organizações escolares de modo a que elas possam sustentar melhor a aprendizagem de estudantes e professores, 
• precisa tornar acessível o ensino superior e garantir que a cientificidade esteja ao alcance de todos os santomenses,
• precisa alargar as oportunidades de aprendizagem ao longo da vida, que os trabalhadores actualizem continuamente as suas aptidões para acompanhar a mudança.
Neste desígnio, Todos temos de estar envolvidos.

Excelências, Senhoras e Senhores
É com toda a consciência que declaramos com convicção que é preciso acreditar na educação. 
“Acreditamos que chegou a hora de iniciar uma nova era de responsabilidade mútua na educação – uma era em que estejamos todos unidos a bem do êxito dos nossos filhos.” 
Se nós nos superarmos hoje na educação, amanhã superaremos centenas de países em vários domínios.

E não sereis certamente vós, meus caros compatriotas, que ireis contradizer-me se eu vos afirmar que “uma educação de elevada qualidade é crucial para enfrentar muitos desafios do nosso país e as escolas públicas de grande qualidade abrem o caminho às oportunidades globais e à constituição de comunidades locais fortes”. 
É nesta certeza que definimos objectivos, não ilusórios, mas ambiciosos para a educação em São Tomé e Príncipe, que incluam aptidões avançadas adequadas às exigências actuais e globais. 
Bobby Knight, o lendário treinador americano de basquetebol, afirmara um dia: “Todos querem vencer, mas poucos sãos os que estão dispostos a prepararem-se para o fazer.” 
Sabemos que algumas metas requerem sujeitos capazes de as pensar e as realizar. 
Mas “os sonhos são possíveis se perseguidos com coragem, determinação e entusiasmo”. 


Excelências, Caros compatriotas e parceiros de desenvolvimento, 
É a altura de São Tomé e Príncipe assumir um compromisso histórico com a educação, um compromisso autêntico, que requeira novos recursos e novas reformas.

Se acreditarmos, veremos o futuro.
Eu acredito. 
E antevejo o futuro. 
Permitam-me partilhá-lo convosco.

(apresentação do vídeo “Educação Horizonte 2022-Todos pela Educação”)

Excelências, Senhoras e Senhores,
Neste sentido, a educação continua sendo a política pública mais decisiva para a construção de um futuro comum mais compartilhado e digno para fazer e fazer-se oportunidade.
Juntos, proporcionemos uma educação e formação de qualidade para todos os santomenses.
Que as nossas escolas sejam espaços onde se sabe pensar e aprende-se a aprender.
Obrigado.
São Tomé, 5 de Junho de 2012



Inspiração:
- António Câmara, Voando com os pés na terra, Bertrand Editora, Lisboa 2009.
- Pedro Demo, Educação e Desenvolvimento, Papirus Editora.

Ministro de Educação Visita as Instituições de Ensino Superior

Quarta-feira dia 7 de Novembro, o Ministro Olinto Daio visitará as instituições do Ensino Superior. Durante a visita o Ministro Daio reunir-se-á com os responsáveis e os alunos para melhor se inteirar da vida académica dessas instituições.

A visita do Ministro obedecerá a seguinte agenda:

- Instituto Superior Politécnico, às 10h:00.

- Instituto Universitário de Contabilidade e Informática, IUCAI, às 15h:00.

- Universidade Lusíada de São Tomé Príncipe, às 17h:30.

NOSSA LOCALIZAÇÃO

Ministério da Educação, Cultura e Ciência

Rua Samora Machel, Agua Grande 

CP 41 - São Tomé, São Tomé e Príncipe

Visite-nos

 

FALE CONNOSCO

Par qualquer informação ou solicitação dos nossos serviços.

Fale connosco aqui

Liga-nos +239 2223366 / 2226412

Email: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.