Notícias

Notícias (154)

 

 

A Biblioteca Nacional de São Tomé e Príncipe acolheu na manhã de hoje a apresentação dos resultados provisórios da Avaliação das Aprendizagens dos alunos do Ensino Básico, nomeadamente 2ª, 4ª e 6ª classes.

O objectivo desta avaliação é conhecer a real situação dos alunos e assim traçar estratégias para colmatar os problemas detectados. A avaliação realizada enquadra-se no conjunto de actividades programadas pelo Ministério da Educação, Cultura, Ciência e Comunicação inscritas no Programa Acelerar o Desempenho Educativo 2015-2018 (PADE).

Trata-se de uma actividade do Ministério da Educação, Cultura, Ciência e Comunicação organizada pela Direcção Geral do Planeamento e Inovação Educativa, em colaboração com Agência Fiduciária e de Administração deProjectos (AFAP), Financiada pelo Banco Mundial.

É de salientar que todo o processo de avaliação,decorreu no país a nível nacional, com diversas etapas, tendo sido orientado e monitorado por um consultor internacional. A mesma seguiu todos os parâmetros internacionais adaptados a realidade do país.

Foram avaliados um universo de 19.201 alunos, distribuídos por todo o país, nas disciplinas de Língua Portuguesa e Matemática. Resultados estes, apresentados por Isaulina Rita Santos, Madalena Nascimento, Abneyla Costa e José Cardoso, Técnicos do Gabinete de Acreditação e Avaliação Educacional (GAAE), da Direcção Geral do Planeamento e Inovação Educativa (DGPIE).

Os dados revelam que nos três níveis de ensino avaliados, os alunos apresentaram a média geral mais elevadas na disciplina de Língua Portuguesa em detrimento de Matemática.

A nível da 2ª classe os resultados globais foram os seguintes:

•          Média geral Língua Portuguesa: 35,85%

•          Média geral Matemática: 27,97%

A nível da 4ª classe os resultados globais foram os seguintes:

•          Média geral Língua Portuguesa: 44,78%

•          Média geral Matemática: 23,95%

A nível da 6ª classe os resultados globais foram os seguintes:

•          Média geral Língua Portuguesa: 41,11%

•          Média geral Matemática: 26,58%

Entretanto, os resultados finais serão brevemente apresentados pela mesma equipa de trabalho, e posteriormente todo o trabalho será desenvolvido com base nestes resultados, de modo a fazer face aos problemas detectados no processo de aprendizagem dos alunos a nível nacional. Portanto, essa é uma das acções levada a cabo pelo Ministério da Educaçãocom vista a melhorar o processo educativo em São Tomé e Príncipe e na promoção de uma educação de qualidade para todos.

 

 

 

 

 

Gabinete de Comunicação do MECCC

O Ministro da Educação, Cultura , Ciência e Comunicação, Olinto Daio, recebeu hoje em audiência, os membros do Comité de Peritos sobre os Direitos e Bem-Estar da criança, da União Africana. Tendo em conta a ligação do MECCC com as crianças, esse encontro serviu para advogar e sensibilizar junto ao ministro uma aceleração  dos procedimentos para a ratificação da carta africana dos direitos da criança.

A delegação quis ainda, apreciar os trabalhos realizados pelo Ministro da Educação a favor das crianças e do seu bem-estar.

 

Criada em 2002, em substituição à antiga Organização da Unidade Africana, a União Africana  atua na mediação e prevenção de conflitos e um dos seus  princípios consagrados em seu tratado constitutivo,  tem contribuído para a defesa da democracia no continente, além de estabelecer a condenação e rejeição a mudanças inconstitucionais do governo.

Segundo a Carta Africana dos Direitos da Criança, no ARTIGO 11: EDUCAÇÃO , toda criança tem o direito a educação.  De acordo com este artigo, os Estados Partes da presente Carta tomarão todas as medidas adequadas para assegurar a plena realização deste direito e, em particular, deverão:

 

v  Proporcionar educação básica gratuita e obrigatória;

v  Incentivar o desenvolvimento do 1º ensino em diferentes formas e tornar progressivamente gratuita e acessível a todos;

v  Fazer com que o  1º ensino seja  acessível a todos, tendo em conta as capacidades e aptidões de cada um, por todos os meios adequados;

v  Tomar medidas para encorajar a frequência escolar regular e reduzir a taxa de abandono;

v  Tomar medidas especiais para garantir que as mulheres, crianças dotadas e desfavorecidas tenham igual acesso a 1ª educação  em todos os estratos sociais.

 

A delegação está composta por Joseph Ndayisenga, vice-presidente do Comité Africano de Peritos sobre os Direitos das Crianças, Mariama Mohamed, Secretária Coordenadora do Comité, Sekone Wendyam Philippe, Funcionário do Comité.

 

Em sua exposição, o ministro disponibilizou-se para auxiliar na aceleração  dos procedimentos para a ratificação da carta africana dos direitos da criança e  reforçou a necessidade do acesso a educação como contributo para o desenvolvimento do país.  

  Entretanto vale salientar que,  a educação básica em STP é gratuita e o Ministério da Educação, Cultura, Ciência e Comunicação tem tomado  medidas para encorajar a frequência escolar regular para reduzir a taxa de abandono e também  tem feito  com que o  1º ensino seja  acessível a todos, tendo em conta as capacidades e aptidões de cada um, por todos os meios adequados. 

 

 Gabinete de Comunicação do MECCC

 

 

 

 

O Ministério da Educação, Cultura, Ciência e Comunicação iniciou na manhã de hoje, a segunda secção de formação do SIGE, que decorrerá na Biblioteca da casa do professor.

O SIGE, (Sistema Integrado de Gestão Escolar), enquadra-se no âmbito do Programa Acelerar o Desempenho Educativo em São Tomé e Príncipe, que refere na aposta do Ministério da Educação, Cultura, Ciência e Comunicação para a melhoria da gestão escolar  tem como parceiro o Banco Mundial.

O objectivo do SIGE é optimizar a gestão de todas as áreas das instituições de ensino do Ministério da Educação, Cultura, Ciência e Comunicação, bem como, melhorar o desenvolvimento das funções administrativas das escolas e ainda, optimizar o fluxo de informação de qualidade  nas escolas.

Esta formação tem como foco, proporcionar aos participantes, ferramentas tecnológicas que agilizem o processo e facilite o acompanhamento das rotinas administrativas, proporcionando agilidade e a eficiência necessária aos gestores escolares.

A implementação do SIGE nas escolas permitirá que estas tenham uma administração informatizada, onde o gestor e os funcionários administrativos tenham ferramentas indispensáveis, seguras e de qualidade que lhes permitam ampliar a visão da realidade das suas escolas e da rede escolar, a nível nacional, permitindo assim, a melhoria da gestão escolar em São Tomé e Príncipe. A formação foi ministrada por Gelcínia Vera Cruz, técnica do EDUTIC,Direcção do Ministério da Educação, Cultura, Ciência e Comunicação.

 

 

 

 

 

 

Gabinete de Comunicação do MECCC

 

 

 

 

 

 

No âmbito do trabalho de cooperação com o Ministério da Educação, Cultura, Ciência e Comunicação, nomeadamente os serviços centrais e as universidades, os membros da Escola + reuniram-se hoje, na 4ª reunião do Comité de Acompanhamento Permanente da Escola+.

O objectivo do encontro foi para partilhar as opiniões em relação ao desempenho do projecto, execução das actividades, bem como, procurar formas para melhorar o  desempenho do projecto Escola+.

Escola + é um projecto que tem como princípio orientador, a promoção de uma formação sólida e socialmente pertinente, adequada aos níveis etários correspondentes a cada um dos ciclos que o compõem e as exigências de desenvolvimento do país, além disso, propõe uma oferta diversificada de vias e percursos, vocacionados para o acesso ao ensino superior ou para o acesso directo ao mundo do trabalho.

O encontro foi realizado no escritório da Escola + no edifício do Centro Cultural Português e segundo José Carlos Aragão, Coordenador Nacional do projecto, a intenção é melhorar o ensino secundário. José Carlos Aragão disse ainda que, é necessário que todos contribuam para ajudar na melhoria do desempenho do projecto. “A dada altura, com o Ministério,  determinamos que seria bom termos momentos em que estamos todos juntos para  falamos das actividades do projecto, o andamento dessas actividades,  procuramos ver se há constrangimentos, procuramos também buscar sinergias,  ideias, contribuições, para ajudar na melhoria do desempenho do projecto Escola+,  com a execução das actividades.”

Estiveram presentes, Joana Martins, Coordenadora do Projecto do Instituto Marquês Vale Flor, José Carlos Aragão, Coordenador Nacional do Projecto Escola +, Leonor Santos, Coordenadora Pedagógica, António Machado, Sector da Cooperação da Embaixada de Portugal em STP, Madalena Cardoso, Professora e Assessora da equipa de Coordenação,  Manuela Bandeira, Directora do Ensino Secundário, Padre Miguel, Vice Presidente do ISP,   Mirabel Ribeiro, Directora da Direcção Geral do Planeamento e Inovação Educativa (DPIE) e Jorge Boa Morte, Técnico da mesma direcção.

 

 

 

O Ministro da Educação, Cultura, Ciência e Comunicação procedeu a abertura na manhã de ontem no Arquivo Histórico de São Tomé e Príncipe, a formação dos directores, subordinado ao Tema “Plano de melhoria para o Sucesso Escolar” ,que será ministrada por Jorge Caldeira, consultor internacional.

A referida formação enquadra-se no âmbito do Programa Acelerar o Desempenho Educativo em São Tomé e Príncipe, que refere a aposta na formação contínua dos colaboradores do ministério da Educação, Cultura, Ciência e Comunicação. 

Esta formação terá uma duração de duas semanas e tem como objectivo, proporcionar aos directores das escolas conceitos teóricos suficientes para conceberem a elaboração de um plano de acções estratégicas em cada escola, colocando o planeamento estratégico ao serviço da promoção do sucesso educativo e do desenvolvimento escolar.

 

Olinto Daio, salientou a importância da formação para a melhoria do sucesso dos alunos e da própria produtividade de toda a família educativa.

 

 

 

 

Gabinete de comunicação do MECCC. 

Foi apresentado hoje no Centro de Formação Brasil São Tomé, o programa do Projeto Educativo Desporto Escolar.

Na ocasião, estiveram presentes o Ministro da Educação, Cultura, Ciência e Comunicação, Olinto Daio, Ministro do Desporto e Juventude, Marcelino Sanches, Coordenador Nacional do Desporto Escolar, Jaylson de Carvalho, Consultor Internacional do Desporto Escolar, Dr Aurélio Oliveira, Administrador da CST, Jorge Frazão entre outras individualidades parceiras do desporto escolar e a família educativa.

 

No seu discurso de abertura, Olinto Daio, disse que “desporto é vida ” e que por isso o Ministério da Educação, Cultura, Ciência e Comunicação fará todos os possíveis para que este atinja todas as faixas etárias. Ainda na cerimónia, Marcelino Sanches, entregou alguns equipamentos ao Coordenador do Desporto Escolar, Jaylson de Carvalho. 

 

 

Gabinete de comunicação do MECCC. 

 

O Centro de Formação Profissional Brasil – São Tomé e Príncipe foi palco da Oficina “ Compras Locais Para Alimentação Escolar”, cujo objectivo é resgatar o fluxo operacional das compras de alimentos promovidas de forma descentralizadas ocorridas a partir de 2008 e promover junto aos participantes da oficina, a identificação das dificuldades enfrentadas durante a gestão dessas compras.

 O encontro serviu ainda para acentuar as potencialidades que essa iniciativa representou a partir do enfoque da segurança alimentar e nutricional para o país, e assim, definir estratégias de levantamento da realidade agrícola no país, para avançar com as compras locais de alimentos de forma a atender a necessidades do PNASE.

A Oficina “Compras Locais Para Alimentação Escolar” foi organizado pelo: Governo Santomense, Pnase, FAO, Agência Brasileira de Cooperação e o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação.

 

 

 

 

Gabinete de comunicação do MECCC. 

Esta actividadecontou com a participação de três grupos de trabalhos, nomeadamente, produtores, consumidores e a acessoria técnica, que trabalharão de forma isolada, pois no final serão apresentados resultados seguido de um debate, onde irão buscar um consenso para a operacionalização da modalidade de “compras locais”.

 

                                                                                          

O Ministro da Educação, Cultura, Ciência e Comunicação, Olinto Daio, recebeu hoje em audiência, uma delegação da RIPES (Rede de Instituições Públicas da Educação Superior), acompanhada do reitor da Universidade de São Tomé e Príncipe, Ayres Bruzaca e da diretora do Centro Cultural Brasil-São Tomé e Príncipe,  Leila dos Santos Muniz Quaresma. Segundo o reitor da USTP, o encontro foi para apresentar ao ministro as propostas do projeto para a universidade pública do país - “a  audiência com o ministro foi no sentido de dar a conhecer quais são os objetivos que trouxeram a equipa até São Tomé e Príncipe e fazer o ponto de situação dos trabalhos que temos estado a desenvolver”.

RIPES é uma instituição que trabalha para a criação de uma rede das universidades públicas dos países de língua oficial portuguesa. O projecto foi idealizado e criado pela UNILAB e conta com o apoio da Agência Brasileira de Cooperação do Ministério das Relações Exteriores (ABC/MRE). Os seus recursos são geridos pelo Fundo Especial da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, junto ao Secretariado Executivo da CPLP (SECPLP), em Lisboa. Esta instituição tem como objetivos principais, a criação e o fortalecimento da comunicação entre as instituições públicas de ensino superior da CPLP, bem como a construção de uma rede internacional de Universidades, respeitando a soberania dos países e das instituições parceiras, promovendo ações e intervenções a nível de apoio técnico, administrativo e académico, como estabelecem as diretrizes da UNILAB.

A delegação está em São Tomé e Príncipe para conhecer as dificuldades e as aspirações da Universidade de São Tomé e Príncipe e, a partir daí, criar oportunidades e estabelecer estratégias que sejam factíveis, solucionando, assim, alguns problemas da universidade pública santomense.   

A visita, que decorrerá até ao dia 4 de Dezembro, também serve de estratégia e pesquisa para a criação, a nível da universidade de STP, um ensino a distância, de forma que a Universidade  saia do espaço físico e possa ir aos distritos bem como a outros pontos de São Tomé e Príncipe, já que, o objetivo é  fazer da universidade, um espaço inclusivo e com qualidade.

A equipa está composta pelo professor Edson Borges, coordenador do projeto, Carla Filipa Paiva, gestora do projeto, Drª Alessandra Ambrósio, ponto focal de cooperação do Ministério de Assuntos Externos do Brasil.

 

 

 

 

 

 Gabinete de comunicação do MECCC. 

 

 

Um grupo de professores, diretores e delegados da educação participam, a partir de hoje, numa formação, que decorre na Biblioteca Nacional de São Tomé e Príncipe, de orientação para a elaboração de propostas de candidaturas para Escolas Associadas da UNESCO.

As Escolas Associadas da UNESCO é uma Rede mundial de 10.000 estabelecimentos de ensino, em 180 países (desde a pré-primária, até ás escolas secundárias, escolas de ensino técnico e profissional, escolas superiores de educacação e centros de formação de professores), que trabalham em prol de uma educação de qualidade e que prosseguem, de forma ativa, o ideário e os princípios estabelecidos pelo Ato Constitutivo da UNESCO.

A formação, que decorrerá até ao dia 2 de Dezembro,também serve de estratégia no auxílio da melhoria da qualidade da educação no país, já que a maioria dos docentes enquadrados neste ano lectivo possuem a formação académica adequada.

 

A iniciativa da Comissão Nacional para a Unesco, no âmbito da sua revitalização, conta com o apoio da Comissão Nacional da Unesco de Portugal, que disponibilizou uma especialista para o efeito. Fátima Claudino, responsável pelo sector da Educação da Comissão Nacional da UNESCO de Portugal e que responde pelas Escolas Associadas, está em São Tomé para, através da sua experiência, auxiliar os docentes nacionais na apresentação dos projetos das suas escolas.

 

 

 

 

Gabinete de comunicação do MECCC. 

O Ministério da Educação, Cultura, Ciência e Comunicação inaugurou nesta terça feira, 22, no edifício da Direcção Geral de Administração Escolar (DGAE), uma sala multiusos para apresentar soluções tecnológicas desenvolvidas internamente.

O objectivo da criação deste espaço é reforçar a capacidade dos educadores, formà-los a distância, realizar conferências para estimular gestores e servidores do MECCC a desenvolver ideias capazes de aproximar as crianças das políticas públicas educacionais para a melhoria da qualidade do ensino Pré- Escolar em São Tomé Príncipe.

A directora da Pré-Escolar, Ricardina Rodrigues, frisou que a criação deste espaço permitira o desenvolvimento das capacidades dos educadores de infância. “ Queremos com isso reforçar a capacidade dos educadores, de forma a conseguirmos atingir uma melhoria na educação em São Tomé e Príncipe ”, disse.

 

A cerimónia foi presidida pelo Ministro da Educação, Cultura, Ciência e Comunicação, Ointo Daio e Jaques Boyer, Representante Regional do UNICEF em São Tomé e Príncipe e Gabão e juntos cortaram a fita. 

 

 

 

 

 

Gabinete de comunicação do MECCC

Pág. 7 de 11

NOSSA LOCALIZAÇÃO

Ministério da Educação, Cultura e Ciência

Rua Samora Machel, Agua Grande 

CP 41 - São Tomé, São Tomé e Príncipe

Visite-nos

 

FALE CONNOSCO

Par qualquer informação ou solicitação dos nossos serviços.

Fale connosco aqui

Liga-nos +239 2223366 / 2226412

Email: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.