Notícias

Notícias (154)

O Conselho de Ministros na sua sessão ordinária de 15 de Março aprovou a proposta de Decreto, submetido pelo Ministro da Educação, que cria o Gabinete de Acreditação e Avaliação Educacional - GAAE.

O GAAE tem como atribuições a organização do processo de avaliação da aprendizagem, bem como a validação das condições de acesso dos alunos à realização de provas e exames e consequente certificação dos seus diplomas e certificados e atribuição de equivalências.

Através do GAAE, o Ministério da Educação vai poder acompanhar todas as etapas do processo de ensino e aprendizagem, comparar os resultados obtidos conforme os objectivos propostos, a fim de verificar progressos, dificuldades e orientar estratégias e acções para as melhorias necessárias.

A Direcção Geral da Cultura realizou ontem, 23 de Março a segunda edição do Concurso Nacional de Stleva na Praça Yon Gato e o Grupo Plapa Tela foi o vencedor pela segunda vez.

Stleva é uma manifestação cultural que existe apenas em São Tomé e Príncipe.
A mesma acontece uma vez por ano, na quarta-feira santa, da última semana da Quaresma. 
O nome Stleva vem da palavra "trevas" que significa escuridão, descrevendo os dias em que Jesus andou na escuridão, prestes a ser crucificado. 
Assim justifica o facto de os grupos de Stléva, compostos por 3 a 6 elementos, saírem às ruas, à noite, com canções de escárnio e mal dizer, cantando em versos a maioria dos problemas da sociedade, os erros do ser humano e o perdão, ressaltando as relações conjugais cantadas em crioulo forro. 
Os instrumentos utilizados são tradicionais, tais como: duas varas de bambu para marcarem o ritmo, Canzá (reco-reco) e chocalhos (Sacaia).
Os membros do grupo usam panos brancos amarrados à cabeça, braços e cintura, simbolizando Jesus, crucificado.
O evento contou com a participação de cinco grupos: Americano de S. Marçal; Grupo Anzu Dêçu; Grupo Quente de Comprimido; Mé Faca de Água Bobô e Plapa Tela (Grupo vencedor da 1ª edição do concurso realizado no ano passado).

Reuniu-se hoje, dez de Dezembro, no Hotel Pestana, o Ministro da Educação e os ex-Ministros da Educação de São Tomé e Príncipe. O evento contou com a participação de 12 ex-ministros: Dr. Leonel Mário D’Alva, Dr. Joaquim Rafael Branco, Dr. Albertino Neto, Dr. Guilherme Octaviano, Dr. Albertino Bragança, Dr. Peregrino Costa, Drª Armanda Cunha, Dr.ª Maria Fernanda Pontífice, Dr. Álvaro Santiago, Dr Jorge Bom Jesus, Dr.ª Maria de Fátima Almeida e a Dr.ª Mariana Ruth Leal. Estiveram ausentes, por residirem no estrangeiros a Dr.ª Lígia Costa, Dr. João Bonfim e Drª. Maria Amorim.

Após as palavras de boas vindas, o Ministro Olindo Daio pediu um minuto de silêncio em homenagem aos ex-ministros já falecidos: Dr.ª Alda do Espírito Santo e Dr. Celestino Costa.

Segui-se de uma apresentação feita pela Dr.ª Victória Rita sobre a situação actual do sistema educativo em São Tomé e Príncipe e de outra feita pela Dr.ª Mirabel Ribeiro sobre o Programa Acelerar o Desempenho Educativo de São Tomé e Príncipe.

Após as apresentações técnicas, os ministros informalmente e sem formalidades protocolares falaram dos constrangimentos da educação, das soluções para os problemas e também sobre o actual Programa Acelerar o Desempenho Educativo.

Segundo os ministros, o Programa Acelerar o Desempenho Educativo responde às problemáticas e os desafios actuais da educação, mas é muito ambicioso para ser realizado em três anos. Assim sendo, seria melhor focalizar num sector, investir na pré-escolar, sem perder de vista algumas questões transversais e medir qual o nível de intervenção a ser feito em cada nível de ensino.

Para os ministros as questões essenciais são: com que recursos financiar a educação? com que pessoas trabalhar para implementar este programa? Com que objectivo formar os cidadãos.

Assim sendo, os ministros sugerem:

  • Criar estratégias alternativas para financiar a educação;

  • Sensibilizar a sociedade sãotomense para a necessidade de financiar a Educação;

  • Multiplicar parcerias para financiar e resolver as grandes questões da educação;

  • Estabelecer parcerias com outros ministérios para resolução de algumas situações como o saneamento, água, energia eléctrica e estradas;

  • Investir na Pré-escolar como condição de construir a qualidade no ensino;

  • Consolidar os ganhos obtidos no ensino básico;

  • Criar condições para o desenvolvimento das escolas privadas no país;

  • Criar mecanismos que facilitem a implantação de livrarias no país;

  • Planificar a educação para 2030;

  • Definir os objectivos da educação e da formação em conformidade com as necessidades do desenvolvimento do país;

  • Actualizar a carta escolar;

  • Definir uma política linguística e integração de textos de autores nacionais nos manuais escolares;

  • Criar mecanismos de combate à fraudes e à falsificação de diplomas;

  • Fiscalizar e monitorizar as escolas privadas;

  • Criar mecanismos para motivar a classe docente;

  • Investir na formação dos professores;

  • Efectivar a criação do Conselho Nacional da Educação;

  • Estabelecer nas escolas um regulamento interno.

O encontro terminou com a foto de família, quando eram 12h. Os participantes manifestaram o desejo de se voltar a realizar um evento de género.

BREAKFAST MINISTROS DA EDUCAÇÃO | 2015
Hotel Pestana | 19 de Dezembro 2015 | 08h:00-11h:00

São Tomé e Príncipe celebra, este ano, o seu 40º aniversário, enquanto nação independente. Desde o limiar da jovem República que a educação esteve presente nas atenções dos sucessivos governos.
De facto, ao longo desses 40 anos, o Ministério da Educação, sob a tutela de vários ministros, procurou proporcionar uma educação e formação de qualidade para todos os Santomenses, sem excepção.
Do diagnóstico feito do sistema educativo Santomense depreende-se que progressos notáveis foram alcançados nos últimos anos, particularmente nos domínios do acesso e da equidade de género. A taxa de escolarização, no ensino básico, ronda cerca de 97,9%. Um ganho que é fruto das diversas políticas educativas adoptadas ao longo destes 40 anos.
Todavia, muito está por fazer nos domínios da eficiência e da qualidade do ensino, da gestão escolar e da formação do corpo docente.
Os desafios são enormes: temos uma cobertura do ensino pré-escolar deficitária, que deixa mais de 72% de crianças sem qualquer preparação para o ensino primário; Cerca de 21,6% de jovens não têm acesso ao primeiro ciclo de secundário e 78,9% não têm acesso ao segundo ciclo do secundário; cerca de 60% de professores não possuem a formação pedagógica necessária para leccionar, e apenas 38% de professores do ensino básico detêm conhecimentos científicos e curriculares, nomeadamente na área da matemática e da língua portuguesa; a taxa de reprovação, no ensino básico, é de 18,9%, no secundário 1º ciclo de 20,98% e no 2º ciclo 2,39% .
Face a tudo isso, há necessidade premente de encontrarmos estratégias adequadas e eficientes para a melhoria do desempenho do nosso sistema educativo.
Assim, senti a necessidade convidar os ex-Ministros da educação de São Tomé e Príncipe a tomar o pequeno almoço comigo, no dia 10 de Dezembro às 8h, no Hotel Pestana, para que, em conjunto, reflitamos sobre a melhoria do desempenho educativo em São Tomé e Príncipe. 
Afinal, este foi o propósito da missão de todos os ministros da educação de São Tomé e Príncipe: educação de qualidade.

A Universidade de Évora (UE) inicia neste ano letivo o funcionamento de cursos de Doutoramento e Mestrado em S. Tomé e Príncipe.

Esta cooperação visa a formação e a capacitação científica de quadros superiores em S. Tomé e Príncipe e assenta, num primeiro momento, na formação avançada em Ciências da Educação e no Mestrado em Gestão - especialização em Finanças.

As relações de cooperação entre a UE e São Tomé remontam a 2005, tendo-se assinado nesse ano um Convénio de Colaboração entre a academia e o Instituto Politécnico de São Tomé, prevendo a colaboração em diversas áreas, com um foco especial na formação de professores.

Fonte: dianafm

O Ministro da Educação, Cultura e Ciência apresentou nesta terça feira, dia 1 de Setembro, no Hotel Praia uma conferência cujo tema foi: “Acelerar o Desempenho Educativo em STP- Reflexões e Medidas”.
O objectivo desta conferencia foi de alertar a família da educação e o público em geral sobre a problemática que se vive hoje no sistema do ensino são-tomense e apresentar medidas e acções para melhorar o desempenho educativo a médio prazo.
Partindo de uma análise da situação do ensino, o Ministro Daio fez uma radiografia do baixo desempenho actual do sistema de ensino e apresentou como as principais causas: a gestão escolar pouco eficiente, a supervisão pedagógica inapropriada, o sistema de avaliação desapropriado e duvidoso, baixo empenho e motivação dos alunos.
Face a esta situação o Ministro Olinto Daio apresentou como solução “Acelerar São Tomé e Príncipe” um programa de melhoria do desempenho escolar a médio prazo, isto é, durante 3 anos.
Este programa visa:

  • Valorizar o professor e conjunto de profissionais da Educação (directores, inspectores e supervisores…);
  • Aprimorar o currículo escolar e a reforma pedagógica;
  • Aumentar e valorizar as capacidades de liderança, planeamento e gestão dos directores das escolas;
  • Implantar o sistema de avaliação da qualidade de ensino;
  • Melhorar o ambiente físico e comportamental propício e estimulante ao aprendizado;
  • Estimular o envolvimento dos pais e responsáveis para que discutam e participem do processo de melhoria do ensino e do acompanhamento dos indicadores de qualidade, com ampla comunicação à sociedade são-tomense.

Para o enriquecimento das soluções apresentadas, foram registadas várias sugestões dos participantes.

O evento contou com a participação de mais de 250 convidados, entre eles, os membros do governo, os deputados da Assembleia Nacional, directores das escolas, associações de estudantes, representantes das ONGS e membros da sociedade civil.

São três rapazes e uma menina com idades compreendidas dos quinze aos dezassete anos que representaram o país nas Olimpíadas de Matemáticas em Cabo Verde. Trouxeram quatro medalhas de bronze, uma conquista a mais em relação ao ano passado. A menina que participou pela segunda vez nas olimpíadas de matemática, teve em termos de vantagens, mais experiências que os rapazes. Encontraram -se com o Ministro da Educação Cultura e Ciência para pôr-lo a par de todas as atividades e o esforço feito para conquista das medalhas este ano, bem como trocar ideias de coisas relacionadas com o ensino e em especial a matemática. Conquista esta que se assemelha ao Cabo Verde, o país anfitrião da competição este ano.

“Conseguimos trazer quatro medalhas de bronze, foi um bom resultado comparando ao ano passado, mas esperamos sempre progredir com o passar dos anos e poder representar cada vez mais e com melhor dignidade o país,” desse Carla Lima, a única menina do grupo.

Para a melhoria da performance dos competidores o Reitor da Universidade de S. Tomé e Príncipe declarou que será criada uma estrutura na universidade para coordenar as olimpíadas com vista a preparar com antecedência os alunos visando um melhor resultado.

2014 08 31 23 T2

 “Felizmente a nossa participação em todas as edições foram com sucessos que nós preconizamos, nós queremos mais e vamos chegar lá, porque afinal estamos a concorrer com colegas que têm um patamar mais elevado em relação a nós. Por exemplo, existe países que têm o seu processo de olimpíadas de matemática tão estruturada com mais de duas décadas de funcionamento. Estamos a falar das olimpíadas de matemática com pouco mais de cinco anos, e eu julgo que nós estamos indo bem,” desse Peregrino da Costa, Reitor da USTP.

Receberam do Ministro da Educação um Smart Phone cada um como oferta e estímulo para melhores sucessos.

O governo da República de China Taiwan através do seu embaixador Jack Cheng, entregou ao Ministério de Educação, Cultura e ciências dois autocarros novos no âmbito da cooperação na área da educação existente entre os dois países. Os autocarros adquiridos em primeira mão visam, no âmbito do programa do XVI governo, apoiar as crianças das localidades onde o acesso as escolas é feito a pé sob situações climatéricas desagradáveis e difíceis. A prioridade do governo está virada para as crianças que em algumas localidades têm vivido situações pouco confortantes para terem acesso a escolaridade obrigatória, percorrem mais de dez quilómetros de estrada, algo que não contribui para o melhor aproveitamento das mesmas.

Jack Chang, Embaixador Taiwanes desse “sentir-se honrado em poder contribuir mais uma vez para o desenvolvimento de S. Tomé e Príncipe, com especial atenção ao sector da educação”. Nesta primeira fase foram entregues dois autocarros, mas no âmbito da cooperação está previsto a chegada de mais transportes escolar. A entrega das viaturas aconteceu em frente ao Ministério da Educação, Cultura e Ciência e recebidas pelo Director de gabinete na altura Silvestre Soares.

A Empresa petrolífera Oando Equator entregou quatro autocarros escolares ao Ministério de Educação Cultura e Ciência. Os autocarros que faziam falta no âmbito do défice de transporte escolar que o país despõe vem se juntar a outros já entregues pela mesma empresa. Sendo um dos programas do governo melhorar e facilitar o acesso das crianças aos estabelecimentos escolares, o governo garante a aquisição de mais meios de transportes escolares, demonstrando a sua preocupação em solucionar este que é um dos problemas destacados pela população aquando da realização do orçamento do cidadão.

O Ministro da Educação Cultura e Ciência lançou a primeira pedra para a construção de três salas de aulas na escola Primária de Madalena. As obras têm o prazo de construção de dois meses. As três salas de aulas da escola primária de Madalena vem colmatar a falta de turmas para as crianças que percorrem vários quilómetros as localidades de Desejada e Boa Entrada para terem acesso a 4ª e 5ª classes.

“Nós estamos a infelizmente a retomar algumas obras que ficaram paralisada desde 2012, tendo em conta a perceção que nós já tínhamos dos indicadores do crescimento populacional da educação, havia uma estratégia da expansão da rede escolar. Há uma necessidade de descongestionar o Liceu Nacional, criando condições para que Patrice Lumunba possa receber alunos da oitava classe, o que agrava a necessidade de criar outro espaço de acolhimento das crianças do Ensino Básico e do Segundo Ciclo, como nas localidades de S. Marcos, Primeiro de Junho e também em Madalena,” desse Olinto Daio, Ministro da Educação e Ciência.

A estratégia de expansão da rede escolar de que se refere não foi aplicada em 2012 devido a queda do governo.

“Com agora a aprovação e disponibilidade financeira do orçamento geral do estado estamos a avançar com estas obras. Agora estamos a ampliar mais três salas de aulas em Madalena de modo a evitar que as crianças se desloquem até Desejada, Capela ou Bobo Foro. As obras que estavam paralisadas na Trindade já foram retomadas, mais seis salas para que nós possamos acolher a população do Distrito de Mé – Zochi,” Acrescentou Daio.

Aproveitou para visitar as seis salas em construção na escola secundária da Trindade e lançou também a pedra para a construção de duas casas de banho germinadas para melhorar o sistema de saneamento da escola segundaria da S. Marçal.

Obras que deverão estar terminadas no inicio do ano lectivo. Na perspetiva de expansão da rede escolar, o Ministro da Educação Cultura e ciência anunciou o lançamento de obras para outras escolas nos próximos tempos.

Aumento de infraestruturas escolares para tentar colmatar o aumento populacional e melhorar o acesso a escolaridade básica.

RM: 000111- 02.48 – E nós vamos continuar ainda esta semana com o lançamento de outras obras … nós vamos iniciar em alguns distritos.

Pág. 9 de 11

NOSSA LOCALIZAÇÃO

Ministério da Educação, Cultura e Ciência

Rua Samora Machel, Agua Grande 

CP 41 - São Tomé, São Tomé e Príncipe

Visite-nos

 

FALE CONNOSCO

Par qualquer informação ou solicitação dos nossos serviços.

Fale connosco aqui

Liga-nos +239 2223366 / 2226412

Email: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.